Venda programática: saiba se sua rede está remando contra a maré!

Venda programática: saiba se sua rede está remando contra a maré!

É fato que as redes de mídia digital out-of-home (DOOH) possuem um modelo de vendas tradicional, onde pacotes com um número pré-estabelecido de inserções, telas e período é vendido aos anunciantes. Ao mesmo tempo um modelo de negócio já praticado por gigantes da publicidade como Facebook, Google e LinkedIn está chegando às redes de Mídia DOOH. Nesse artigo vamos falar mais sobre a venda programática e as redes DOOH.

O modelo de vendas tradicional

No modelo tradicional das redes DOOH, as vendas são mais engessadas para os anunciantes, normalmente baseada em pacotes fixos, sem a possibilidade de personalização como por exemplo, remover ou não uma tela específica ou selecionar apenas alguns dias da semana ou horários do dia para exibir o anúncio.

As redes de telas DOOH vendem pacotes maiores, em especial porque fica mais fácil realizar a venda, diminui a operação da equipe com agendamentos, retirada e envio de relatórios, cobranças, etc. Claro que elas justificam que o pacote é maior porque somente com muitas inserções o anunciante terá resultados. Mas será ? Por que você consegue ter resultados em Linkedin, Instagram, Facebook e mesmo adWords, segmentando sua campanha e focando um resultados (impacto) e não em número de aparições? Vamos entender e desvendar melhor esse paradigma.

O anunciante quer comprar assim?

Indo contra essa filosofia de negócio, é preciso questionar-se sobre como o anunciante realmente quer anunciar. O anunciante quer estar em todas as telas? Todos possuem orçamento para isso? No caso das campanhas locais, quando um anunciante quer anunciar apenas em telas ao seu redor do seu negócio. Gastar dinheiro com sua marca em telas distantes, não pode ser entendido como um desperdício de dinheiro? Agências e marcas inteligentes buscam otimizar o investimento em publicidade, e é nisso que os profissionais de mídia são cobrados hoje. Não é necessariamente ser barato, é não haver desperdício com o dinheiro do anunciante.

A venda programática de mídia

Com base nos questionamentos apresentados, podemos afirmar que a mídia programática é a mais inteligente. Esse tipo de mídia, que permite a automatização da busca de resultados através de algoritmos inteligentes, revolucionou o mercado publicitário e vem transformando o modo como as empresas se comunicam com seus consumidores.

Diferente dos processos tradicionais, a compra de mídia é feita diretamente via software ou plataforma, sem contato (ou em alguns casos específicos, pouco contato) com proprietários de sites e outras pessoas. Os dados gerados permitem anúncios muito segmentados, olhando o perfil do usuário e seu momento na jornada de compra, buscando o melhor horário e dia para otimizar o resultado da campanha.

A venda programática é rápida, online, e otimizada para a compra nos momentos que o anunciante quer. Além disso, permite uma maior aproximação comercial entre o anunciante e o dono da rede, já que existe uma negociação automatizada de ofertas, através do bidding, onde o anunciante pode colocar uma oferta especial de compra. Ao dono da tela, ele enxerga como a venda de inventário ocioso, ou seja, inicialmente vê a venda programática como “calhau” e em muitos casos, permite a venda a preços diferenciados e inferiores, já que recebe o anunciante sem nenhum esforço. Todos ganham, anunciante e o dono da tela.

Em suma, momentos de menor procura (normalmente, menor fluxo de pessoas), o custo é menor. Momentos de maior fluxo de pessoas, e consequentemente, maior procura, o preço aumenta. Para o anunciante e para a rede, fica tudo mais justo. E é a tecnologia que proporciona que isso tudo aconteça.

É seguro lutar contra a tecnologia e as tendências de compra programática?

Já vimos casos de empresas que não se atentaram às mudanças tecnológicas e perderam, em questão de meses, espaço no mercado para as que acompanharam. Em especial as redes não investem nesse tipo de tecnologia pois o custo para desenvolvimento é considerado alto, além de não ser o core business delas. Prova disso é que poucas redes possuem seu próprio software de gestão de conteúdo. Mas e se em questão de minutos, uma rede pudesse inserir suas telas em uma plataforma e vender online, de forma programática?

A adMooH permite isso, dando às redes toda a tecnologia que permite às redes vender de forma mais simples e rápida, com agendamento, cobrança, pagamento, relatórios, tudo automatizado, tornando a logística  de vendas um problema a menos para as redes. É o my.adMooH, uma plataforma para ser inserido no website das redes de Midia Indoor, para venda online.

Sua rede continua com a área comercial para realizar as vendas, mas também abrem um novo modelo de vendas, online, em seu website, para a compra automatizada por anunciantes, desde os menores, até os maiores, que podem comprar telas de diferentes redes em uma só compra, tornando cada rede parte de um grande inventário, catalogado e organizado, para a compra por agências e marcas maiores. E você pode optar por listar apenas as telas de seu inventário, ou listar também outras telas de outras redes. Quando um anunciante compra mídia pelo seu website, você fica com 90% sobre o que foi comprado em suas telas, e 10% sobre o valor dos anúncios das telas que nem são suas (se você optar por colocar também telas de outras redes). Um processo colaborativo onde todos se ajudam, e isso movimenta mais o mercado de DOOH, o que é bom pra todos. Realmente inovador, e uma tendência, já que as redes de mídia indoor ficam mais fortes quando os anunciantes conseguem, via uma plataforma, encontrar o publico-alvo, sua audiência e resultados e não ficar escolhendo entre as redes.

Por esse e outros motivos que investir em venda programática deve estar nos planos da sua rede para o próximo ano!

Related Posts