O mercado de DOOH na crise

O mercado de DOOH na crise

Recentemente enviamos um newsletter abordando o mercado de DOOH e, devido a excelente repercussão verificada, decidimos aprofundar este tema trazendo mais dados e pontos de vista da adMooH. 

Para ler este artigo não é obrigatório que tenha lido nosso newsletter, mas se não leu, recomendamos que se inscreva para receber as próximas, que enviaremos quinzenalmente, com assuntos relacionados ao mercado publicitário, de mídia, de inovação e tecnologia em geral.

A crise

Uma pesquisa recente da McKinsey aponta que a crise sanitária não está poupando nenhum setor. 

Claro que os impactos econômicos têm diferentes intensidades, de acordo com o mercado em que as empresas atuam, e seu segmento de negócio, mas praticamente todos têm tido que lidar, de uma forma ou de outra, com este atual cenário.  

E no mercado de DOOH não está sendo diferente. 

Mudança de comportamento

Com o avanço da pandemia o comportamento das pessoas mudou, conforme demonstra uma pesquisa da Kantar na qual 74% da população afirma que só sai de casa se for necessário, 67% deixaram de sair para bares e restaurantes e outros 66% deixaram de frequentar shoppings e parques.

Com menos gente circulando, e devido às restrições de abertura de comércio e prestadores de serviços em vários municípios por todo País, a crise no setor  se agrava ainda mais.

Investimento publicitário represado

Como consequência da pandemia observamos uma retração no mercado publicitário como um todo.

Um estudo da IAB em conjunto com a Nielsen observou algumas perspectivas sobre o investimento publicitário e o sentimento de marcas e anunciantes sobre o cenário atual.

De um modo geral, 38% da amostra se posiciona de forma neutra, e não se consideram nem pessimistas, nem otimistas, quanto ao atingimento das metas previstas para 2020.

Já 60% do universo pesquisado acredita que o investimento em pessoas será a dimensão mais impactada pela crise, e entendem que cortes em contratações, promoções e treinamentos serão os mais afetados, mas o investimento publicitário aparece em segundo lugar com 48%. 

O estudo mostra ainda uma perspectiva de como os investimentos de mídia on e off-line serão daqui para frente, e a notícia não é boa, uma vez que 80% dos entrevistados estimam algum impacto negativo nos planos de mídia off-line.

Percebemos então um potencial crescimento da mídia online, em detrimento de uma queda nos investimentos de mídia offline. Dado que corrobora com a pesquisa da McKinsey sobre a aceleração do processo de digitalização que a COVID-19 está trazendo.

De um modo geral, entendemos que o processo de digitalização, que já vinha acontecendo, está sendo acelerado, e que os padrões de consumo serão diferentes.

A retomada dos negócios

Apesar da ainda crescente taxa de contaminação e da necessidade do isolamento social, o mercado já começa a se movimentar. 

Um bom exemplo disso, é que, após 2 meses sem marcar presença na mídia, uma das maiores marcas de bebidas voltou a anunciar. 

A Coca-Cola, no dia 31 de maio, lançou, no intervalo do programa Fantástico da Rede Globo, uma campanha na TV, e em meios digitais, com uma mensagem otimista, que simboliza, de alguma forma, a volta das atividades no mercado.

O estudo da IAB, em parceria com a Nielsen, revelou que 89% dos anunciantes estão fazendo alguma mudança de curto prazo em suas estratégias de mensagem.

Também podemos observar um aumento de 20% nas iniciativas de Brand Equity (topo de funil: awareness até consideração), ações muito relacionadas com a publicidade em mídia exterior. 

O público deve voltar… o novo normal 

Outro dado importante é o de que 50% das pessoas entrevistas por uma pesquisa da Kantar relatam que abrir mão de sair de casa tem sido um dos pontos mais preocupantes nessa pandemia e 47% dizem que a “privação de liberdade” tem sido seu maior problema.

De uma forma ou de outra é natural o anseio por poder sair, tanto que os brasileiros já sabem o que querem fazer quando sair de casa for seguro. 

“Mesmo sem previsão de uma transição para uma realidade pós-coronavírus, os brasileiros já sabem o que farão quando o isolamento social acabar: 52% querem encontrar os amigos, 49% a família, 45% querem dar uma volta a pé, 36% pretendem visitar bares e restaurantes, e 36% pretendem praticar esportes.”, revela a pesquisa da Kantar.

Parcerias parecem ser a chave…

No dia 02 de junho foi anunciada uma parceria histórica entre as gigantes do mercado de alimentos e bebidas no Brasil.  O movimento, chamado de “Nós”, é uma resposta à crise e conta empresas como: Ambev, Aurora Alimentos, BRF, Coca-Cola Brasil, Grupo Heineken, Mondelez International, Nestlé e PepsiCo.

A iniciativa pretende investir R$370 milhões para ajudar cerca de 300 mil pequenos comércios em todo Brasil. 

Trata-se de um esforço para contribuir com a cadeia de negócios das empresas, e ajudar parceiros a sobreviverem.

O futuro é incerto, mas as ações no presente não

Os problemas são muitos, mas acreditamos que é em momentos como estes que podemos fazer ainda mais diferença. 

Se alguém disser que sabe o que vem por aí, provavelmente está mentindo, ou não faz a mínima ideia do que está dizendo.

Este é um dos poucos momentos que temos visto a resposta “não sei” sendo dita para tantas perguntas, mas uma coisa é certa: lamentar e não fazer nada a respeito não deve ajudar a mudar o cenário, por isso que na adMooH acreditamos na atitude e na ação.

Vamos fazer, vamos errar, vamos corrigir e vamos fazer novamente para acertar os passos. Nosso objetivo de excelência nos negócios continua vivo e presente.

Assim como a iniciativa das gigantes dos setores de alimentos e bebidas, nós acreditamos que em um momento como este, a união só tem a contribuir. Por isso reforçamos mais uma vez o nosso compromisso em ajudar o mercado a se recompor através de ações conjuntas que beneficiem nossos parceiros. 
Diante de tantos dados podemos intuir que o processo de digitalização avança a passos largos, mudando alguns hábitos de consumo, mesmo que as interações de pessoas físicas ainda sejam relevantes, e, apesar das novas regras de socialização e cuidados, o mundo deverá voltar ao normal

Por isso apostamos, mais do que nunca, na comercialização e venda de mídia DOOH cada vez mais digital e automatizada, e, durante a pandemia e essa queda no mercado publicitário, seguimos trabalhando incansavelmente para ampliar as opções de compra e de atendimento para anunciantes e veículos de DOOH. Estamos trazendo a vocês uma nova plataforma, mais bonita, mais flexível, mais intuitiva e com mais opções. 

Espero que tenham gostado do texto. Todos os links para os dados citados estão no texto, mas se encontram também  disponíveis aqui no rodapé.

Fiquem à vontade para comentar, esclarecer dúvidas, fazer sugestões de pautas nas redes sociais, através do e-mail [email protected]. Será um prazer podermos discutir um pouco mais sobre este e outros temas.

Gostou desse artigo sobre o mercado DOOH? Aproveite e leia também no blog da adMooH: Software VS Hardware no mercado de DOOH

Referências 

Pesquisa IAB e Nielsen

https://iabbrasil.com.br/pesquisa-estudo-revela-os-impactos-da-covid-19-no-investimento-em-publicidade-no-brasil/

McKinsey

https://www.mckinsey.com/br/our-insights/comecando-a-retomada

Kantar Ibope media

https://www.kantaribopemedia.com/sair-de-casa-somente-quando-necessario-e-se-informar-pela-tv-sao-as-novas-prioridades-do-brasileiro/

https://www.kantaribopemedia.com/impactos-do-confinamento-social-apontam-para-novas-preocupacoes-e-prioridades-do-consumidor/

Meio&Mensagem

https://www.meioemensagem.com.br/home/marketing/2020/06/01/apos-dois-meses-sem-publicidade-coca-cola-lanca-campanha.html

https://www.meioemensagem.com.br/home/marketing/2020/05/29/gigantes-de-alimentos-fazem-forca-tarefa-pelo-pequeno-varejo.html

Cometários