Out-of-Home foi a mídia que mais cresceu em 2017

Out-of-Home foi a mídia que mais cresceu em 2017

OOH ou Out-of-Home (em tradução literal: “fora de casa”) foi a forma de anúncio publicitário que mais cresceu no ano de 2017. Segundo dados da Kantar Ibope Media, empresa de pesquisa com grande respeitabilidade no mercado, a mídia Out-of-Home cresceu 26% apenas no primeiro semestre do ano passado.

Diante das demais formas de anúncio como TV aberta, TV por assinatura, Jornal, TV Merchandising, Rádio e Revista, o anúncio Out-of-Home ainda representa 2,8% do espaço publicitário. Contudo, levando em consideração a significativa expansão do crescimento em 2017, com a região sudeste representando 78% da verba investida nesse tipo de anúncio, há bastantes chances de a mídia OOH, por telas digital ou painéis de LED, crescer ainda mais em 2018.

Mas por que isso acontece? Por que investir em anúncios externos pode ser uma das mais vantajosas e interessantes formas de anunciar nos próximos anos? Selecionamos alguns motivos para investir em OOH:

Capacidade de impacto Out-of-Home

Todas as formas de anúncio visam um único objetivo, impactar o público positivamente. A principal ideia de um bom anúncio é sempre permanecer na mente pelo maior tempo possível.

A mídia out of home reúne essa característica de duas maneiras. Primeiro, o fato de ser uma propaganda externa faz com que esteja associada a um contexto inesperado. No nosso passeio pelo shopping ou quando estamos na academia, o que permeia nossas mentes são nossas preocupações cotidianas.

O impacto da mídia out of home vem do fato de ela cortar esse fluxo de pensamentos banais, inserindo a mensagem publicitária por meio do contraste e da quebra de expectativa. Além disso, a partir do momento em que está inserido no espaço da cidade, o Out-of-Home passa a acompanhar o público e fazer parte daquele lugar como componente orgânico. Do impacto caminhamos para a presença permanente e fixação do conceito.

Custos menores

Diferente das propagandas televisas que podem chegar a um preço extraordinário, a mídia Out-of-Home oferece grandes vantagens, quando o assunto é custo/benefício.

Além do impacto e da posterior organicidade desse tipo de propaganda, o OOH acaba oferecendo ao anunciante a possibilidade de pagar bem menos por um anúncio que terá tanta presença física, quanto uma propaganda tradicional.

Hoje em dia já é possível anunciar em telas digitais de todo o Brasil através de plataformas online. O que desburocratiza o processo e deixa o anunciante com total controle sobre os custos, segmentação de público, relatórios, métricas, etc.

Se levarmos em consideração que cada vez menos pessoas assistem televisão aberta ou leem revistas, o OOH sai ganhando com ampla vantagem quando o assunto é alcance de público. Aliada a isso está o custo reduzido, já que os anunciantes estão, segundo os dados da pesquisa da Kantar, redescobrindo esse tipo de mídia novamente e, portanto, os preços são bastante acessíveis.

Segmentação do mercado

Como o Out-of-Home é externo e acontece na rua, no bar, nos restaurantes, no aeroporto, ou seja, no espaço físico da cidade, é possível direcionar o anúncio de acordo com o público que se almeja alcançar.

Para isso, basta posicionar o OOH em pontos estratégicos, desenvolvendo estratégias que visem atrair clientes nas proximidades do negócio, expor o negócio para potenciais clientes, ou ainda, posicionando o out of home em lugares sabidamente de grande circulação. Tudo vai depender de qual é a estratégia adotada.

O fato é que, de acordo com ela, é possível atingir um público específico, inserindo a propaganda no caminho casa-trabalho, trabalho-escola, casa-lazer e, assim, causando impacto no curso da vida cotidiana.

Fontes: https://www.kantaribopemedia.com/mais-de-84-mil-marcas-foram-expostas-na-midia-em-2017/

http://propmark.com.br/anunciantes/out-of-home-foi-a-midia-que-mais-cresceu-este-ano

Related Posts